Templates by BIGtheme NET
Associativismo

Associativismo (9)

quarta, 29 outubro 2008 17:52

Clube de Pesca da Golegã

Clube de Pesca da Golegã

Aos dez dias do mês de Janeiro de mil novecentos e noventa e oito, pelas vinte e uma horas reuniram-se três membros da secção de pesca do Clube de Futebol da Golegã para constituir a comissão instaladora do novo Clube de pesca da Golegã.amigos_alverca

O Clube de Pesca da Golegã tem por objectivo principal a divulgação e o desenvolvimento da pesca desportiva de forma equilibrada e salutar do indivíduo na correcta utilização e conservação dos recursos naturais, tendo igualmente em vista a defesa do ambiente e a protecção da Natureza. Procurará incentivar e desenvolver, a partir dos seus sócios, a criação de um espírito de convivência com o meio rural baseando-se nas componentes humana e biofísica, aprofundando as relações sociais numa perspectiva de solidariedade e apoiará todas as medidas que contribuam para fomento e conservação da fauna piscícola e a preservação da qualidade do meio ambiente.


quarta, 29 outubro 2008 17:47

Nucleo Sportinguista do Concelho da Golegã

Nucleo Sportinguista do Concelho da Golegã

Nucleo N.º 196 do Sporting Clube de Portugal

Fundado a 20 de Dezembro de 1999, é fruto de um desejo antigo dos muitos adeptos e sócios Sportinguistas do nosso Concelho.nucleo_sportinguista

A relação com o Sporting Clube de Portugal é bastante intensa, não deixando de estar presente em todos os jogos realizados no Estádio edlk9é Alvalade uma delegação do núcleo.

Neste momento existem no nosso concelho cerca de 20 Sócios com lugares cativos no novo Estádio.

A Actividade Desportiva do núcleo resume-se à prática do Cicloturismo que tem o seu ponto alto na realização do Encontro de Cicloturismo da Golegã realizado, anualmente, no 1º Domingo de Junho. Este passeio está inserido nos percursos Cicloturisticos do Vale do Tejo, denominado por "Rota Lusitanus", e tem sempre um elevado grau de satisfação dos participantes, sendo já uma prova de referência no calendário nacional.

A nossa equipa de Cicloturismo é alvo de inúmeros convites para os mais diversos encontros.

Paralelamente o Núcleo fomenta também a prática de Futsal, patrocinando equipas para o representar em vários torneios.

te tem vocacionado o seu trabalho também para o acompanhamento dos Idosos nos Centros de Dia. Dinamizando e estimulando pela música, criam-se assim novos incentivos de apego e estímulo à vida.

O Coro Polifónico foi constituído em 1987 tem participado em cerimónias litúrgicas, comemoração de efemeridades, recepção a entidades, recitais e concertos didáctico/comentados e encontros corais um pouco por todo o país. Constam do seu reportório todo o tipo de música erudita tradicional ou ligeira.

Em 2002 foi convidado a participar no concerto de gala do conservatório de música da Golegã interpretando alguns clássicos corais sinfónicos da ópera rock "Jesus Christ Super Star" e de Cat Stevens.

Participou nos CDs: "Os melhores coros amadores da região do Ribatejo e Estremadura Norte", "Poesia de Elsa de Noronha", "A Música da Golegã", "A História Musical das Tropas Pára-quedistas".

Coro de Gregoriano - Composto exclusivamente por homens, usando indumentária apropriada (hábito de monge).

Coro de Música Antiga - Composta por jovens de ambos os sexos com indumentária própria da época, dedica-se à música erudita "à capela ou coral sinfónica" ou temas renascentistas.

Actua em inaugurações, recepções a entidades, refeições e festas medievais, palácios, igrejas, salões e castelos.


quarta, 29 outubro 2008 17:41

Associação Cultural “Cantar Nosso”

Associação Cultural “Cantar Nosso”

A Associação Cultural "Cantar Nosso" é uma Instituição de Utilidade Pública e CCD do Inatel está inscrita no RNAJ, não tem fins lucrativos e constitui-se em departamentos.

Em 2002 celebrou um protocolo com o Município da Golegã sob o qual se fundou a CASA DA MÚSICA. Sedeada no edifício construído de raiz por esta associação, onde funcionam harmoniosamente o Conservatório Regional de Música da Golegã e esta Associação Juvenil.casa_musica

O Grupo de Música Popular foi fundado em 1987 esteve na origem da criação desta associação juvenil, a formação actual, sendo a 3ª, compõe-se de jovens possuidores de conhecimentos musicais.

No reportório constam temas tradicionais da Golegã, do continente e das ilhas.

Do seu palmarés constam actuações para a RTP Porto, TVI, RDP Internacional, RDP Antena 1 e RDP África, respectivamente.

Tem percorrido todo o país tendo-se deslocado em tournées do Sul ao Norte, Madeira e Barcelona.

Ao longo de 16 anos tem mantido uma estreita colaboração com o INATEL.

A Escola de Música com 15 anos de existência na Golegã, ministra as disciplinas mais populares em Portugal no domínio do ensino artístico, vertente musical.

Tem preparado com sucesso dezenas de jovens para os exames nos Conservatórios Nacionais; apoiou a criação de novas escolas nomeadamente em Constância, Alcanena, Anadia e Alpiarça.

Contribuiu para uma melhor formação técnica, artística, intelectual e sobretudo humana, de várias centenas de crianças, jovens e adultos.

Dispõe de uma quadro docente experiente e habilitado para o ensino musical a partir dos 3 anos de idade; sendo que alguns dos jovens licenciados que o compõem foram já produto do excelente trabalho realizado por esta escola.

Durante vários anos tem sido responsável pela sensibilização musical nos jardins de infância e algumas escolas do primeiro ciclo nos concelhos de Santarém, Alpiarça, Golegã, Salvaterra de Magos, Torres Novas e Entroncamento.

Dispõe de todo o equipamento necessário para o ensino adquirido com o apoio dos projectos: LEADER e PETTRA JEUNESSE.

Ultimamente tem vocacionado o seu trabalho também para o acompanhamento dos Idosos nos Centros de Dia. Dinamizando e estimulando pela música, criam-se assim novos incentivos de apego e estímulo à vida.

O Coro Polifónico foi constituído em 1987 tem participado em cerimónias litúrgicas, comemoração de efemeridades, recepção a entidades, recitais e concertos didáctico/comentados e encontros corais um pouco por todo o país. Constam do seu reportório todo o tipo de música erudita tradicional ou ligeira.

Em 2002 foi convidado a participar no concerto de gala do conservatório de música da Golegã interpretando alguns clássicos corais sinfónicos da ópera rock "Jesus Christ Super Star" e de Cat Stevens.

Participou nos CDs: "Os melhores coros amadores da região do Ribatejo e Estremadura Norte", "Poesia de Elsa de Noronha", "A Música da Golegã", "A História Musical das Tropas Pára-quedistas".

Coro de Gregoriano - Composto exclusivamente por homens, usando indumentária apropriada (hábito de monge).

Coro de Música Antiga - Composta por jovens de ambos os sexos com indumentária própria da época, dedica-se à música erudita "à capela ou coral sinfónica" ou temas renascentistas.

Actua em inaugurações, recepções a entidades, refeições e festas medievais, palácios, igrejas, salões e castelos.


Clube Despostivo de Campismo e Caravanismo “Arco Íris” da Golegã

O Clube Desportivo de Campismo e Caravanismo “Arco Íris” da Golegã, foi fundado em 25 de Novembro de 1985.

Fazem parte do Clube as secções de Ténis e a secção cultural “Cantares D’ Outrora”. Já fizeram parte do Clube as secções de canoagem, futebol de salão e basquetebol.

O Clube conta actualmente com aproximadamente 700 sócios, sendo cerca de 80 da secção de Ténis. A grande maioria dos sócios são do Concelho, mas também há sócios da Chamusca, Torres Novas, V.N. da Barquinha, Constância, Tomar, Alpiarça, Santarém, Lisboa e também de vários países da União Europeia.

O Clube tem desenvolvido alguns acampamentos no Concelho e participado em acampamentos organizados por outros Clubes fazendo-se representar por sócios.

A SECÇÃO DE TÉNIS tem tido uma actividade bastante preenchida, não só na organização de Torneios de nível Nacional no nosso Concelho, mas também participado com vários atletas, em torneios em diversos pontos do País.arco_iris

Esta secção já existe desde 1986, poucos meses após a fundação do Clube, um grupo de amigos que costumavam jogar ténis, no então novo Court de ténis das Piscinas Municipais, decidem avançar para a organização duma secção deste Clube muito por influência do então coordenador desportivo da Câmara Municipal da Golegã, Sr. Vítor Sepodes. Resta acrescentar que este grupo de amigos tinha na altura entre 15 e 17 anos de idade, o que os levou a convidar algumas pessoas mais velhas para no mínimo poderem ser levados a sério.

Desde 1986que a secção se tem mantido em actividade, com um único período menos activo de cerca de 5 anos.

Nestes longos 12 anos, este grupo de amigos, conseguiu implantar o ténis num Concelho pequeno, e bastante difícil do ponto de vista ideológico em que o ténis era visto como um desporto elitista.

Neste momento, a secção de ténis pode-se orgulhar do trabalho desenvolvido ao longo destes anos, pois conta a gestão e exploração (através de protocolo com a C.M.G.) do Complexo de Ténis, com 2 campos iluminados. Conta com um empregado, 2 treinadores devidamente credenciados pela Federação Portuguesa de Ténis, 2 Árbitros e 2 Juíz-árbitros credenciados pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Ténis, e conta acima de tudo com cerca de 130 sócios dos quais cerca de 40 são alunos da Escola de Ténis. Organiza anualmente 3 torneios Nacionais inscritos no Calendário da F.P.T., e nos últimos anos um campeonato regional do escalão juvenil. Tem tido participação activa no seio da Associação de Ténis de Leiria, e os seus dirigentes e técnicos têm tentado manter-se na vanguarda do desporto nacional com a participação em acções de formação, cursos, simpósios etc.

A Secção Cultural “CANTARES D’OUTRORA” pertence ao Clube desde Julho 2002.

Existe desde Novembro de 2001.

A sua primeira actuação ocorreu na Feira do Livro, na Escola EB 2,3/S da Golegã, no dia 15 de Dezembro de 2001.

Até à data participou em vários eventos: Café Concerto no Centro Social e Paroquial da Golegã, Concertos Pedagógicos, , Festa do Sócio da colectividade de Santa Margarida, Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem no Concelho de Constância, Festeedlk9 de S. Pedro na Golegã, entre outros.

Sociedade Filarmónica Goleganense 1.° Janeiro

Desde a sua fundação, a 8 de Outubro de 1932, esta Sociedade Filarmónica tem desenvolvido uma valiosa actividade na formação de músicos. Para a história registe-se que a banda saiu pela primeira vez às ruas da Vila no dia 1 de Janeiro de 1933, sendo então composta por 33 elementos.sociedade_filarmonica_golanense

Ao longo dos anos conseguiu assumir-se como uma Filarmónica de prestígio nacional. A tal ponto que em 1982, através da escola de música da colectividade, formaram-se 28 jovens, os quais vieram com o seu talento e juventude reforçar e dar um novo alento ao agrupamento. Mas nos alvores da década de 90, mais precisamente em 1993, a Sociedade atravessaria uma grave crise, ficando quase inactiva, ponderando-se mesmo a sua dissolução. Graças à preserverança de algumas pessoas conseguiu sobreviver.

A direcção actual, ao longo do seu mandato, tem feito alguns esforços no sentido de desenvolver cada vez mais algumas actividades, nomeadamente a escola de solfejo e formação musical, abrindo inscrições para aulas de viola e guitarra eléctrica, estando prevista a constituição a médio prazo de uma Orquestra de Música Ligeira da Golegã. A sede desta colectividade encontra-se no Largo D. Manuel I, nas antigas instalações da escola primária, que a Câmara Municipal da Golegã cedeu para o efeito.

Grupo Etnográfico - "Os Camponeses da Golegã"

Tudo aconteceu depois das Marchas Populares de 1992, organizadas por um grupo de entusiastas, que decidiram fundar o Grupo Etnográfico "Os Camponeses da Golegã", em 6 de Julho do mesmo ano. Em Setembro realizar-se-ia também o Primeiro Festival Nacional de Folclore, integrado na Primeira Festa das Vindimas. A finalizar o ano de 1992, em Novembro, o grupo seria aceite como sócio de pleno direito do INATEL. a constituição oficial foi feita em Abril de 1993, no Notário da Golegã, tendo sido publicado no Diário da República, em Junho do mesmo ano.os_camponeses_da_golega

O Grupo Etnográfico "Os Camponeses da Golegã" é responsável pela organização de vários festeedlk9 que vieram dar outra animação à vila da Golegã, já bem conhecida devido à realização da Feira Nacional do Cavalo. Este grupo passaria também a representar a Golegã e o Ribatejo em vários festivais nacionais e internacionais. Participou por diversas vezes na rádio e na televisão, nomeadamente na RDP Internacional e por duas vezes no programa "Portugal Português" da TVI.

quarta, 29 outubro 2008 17:29

Rancho Folclórico da Golegã

Rancho Folclórico da Golegã

Fundado em Maio de 1971 com o nome de Rancho Folclórico da Casa do Povo da Golegã, viria nos anos 90, por força das circunstâncias (extinção da Casa do Povo), tornar-se numa associação autónoma e estatutariamente passar a chamar-se Rancho Folclórico da Golegã.

Na sua sede social conta com um vasto espólio etno-folclórico, o qual se encontra exposto ao público permanentemente, pertencendo à Freguesia e ao Concelho da Golegã e insere-se na região etnográfica da Lezíria.rancho_foclorico_golega

Com uma trajectória de três décadas, o Rancho Folclórico da Golegã assumiu desde sempre a responsabilidade de dignificar as suas gentes através dos usos e costumes de "antão". Para isso muito se têm empenhado os seus responsáveis e componentes num intenso trabalho de pesquisas e recolhas junto do património etno-folclórico que rodeia as vivências do concelho, nomeadamente no que concerne às músicas, danças, e sobretudo no que se cantava. Como resultado deste valioso trabalho, foi com grande alegria que em 1984 este grupo foi admitido como membro efectivo da Federação do Folclore Português e da qual é filiado. Anos antes, também o INATEL o reconheceu.

Em termos representativos têm sido muitas as suas actuações, a todos os níveis - Festivais Nacionais e Internacionais, Rádio, RTP/RTPi, colóquios, congressos e mostras de cantares.

Com base na região etnográfica onde está inserido (Lezíria), realça-se o seu modo de vestir e a forma de dançar, encontrando-se representados os mais variados trajes que eram usados quando as gentes trabalhavam e os de melhor tecido e confecção, os que usavam em dias de festa. Saliente-se o traje do maioral, do campino, do camponês, da camponesa e até de uma classe mais abastada.

Ao longo da sua história, o Rancho Folclórico da Golegã tem tido a preocupação de nas suas danças e cantares ser fiel ao passado, principalmente às tradições que remontam ao final do século XIX e ao primeiro quartel do século XX.

As danças mais desejadas são as da "roda", "fadinhos", "dois passos", "bailaricos", "verde gaios" e "fandango". Da tocata, constam o acordeão, viola, reco-reco, cana, cântaro e ferrinhos. E na cantata existem vozes de homens e mulheres.

quarta, 29 outubro 2008 17:27

Futebol Clube Goleganense

Futebol Clube Goleganense


fcgFundado em 15 de Agosto de 1964, o Futebol Clube Goleganense encontra-se actualmente em plena actividade tendo, dele fazendo parte a ginástica, o voleibol, o basquetebol, a pesca desportiva e o atletismo. Em termos de equipamentos destaca-se um campo de pelado, o "Campo das Ademas", com uma lotação de 1.000 lugares.

quarta, 29 outubro 2008 17:22

Santa Casa da Misericórdia da Golegã

A Santa Casa da Misericórdia da Golegã foi criada em 1553, como consta do 1.° Compromisso, por alvará de 11 de Dezembro de 1873, confirmado pelo rei D. Manuel. Ao longo de 450 anos de história, desenvolveu a sua acção tentando e conseguindo minorar os problemas das gentes do concelho.

Durante largas décadas, a sua actividade foi voltada para a saúde, mantendo um hospital em funcionamento, até as entidades oficiais chamarem a si a sua administração, o que ocorreu em 1975. Desde então, a sua área de intervenção incidiu principalmente no apoio aos idosos mais marginalizados e carenciados. Parasta_casa_mesericordia consecução desses objectivos foi-lhe doada uma "casa senhorial", onde nasceu um pequeno Lar de Idosos, em condições algo precárias. No decorrer dos anos procederam-se a obras de construção, adaptação e ampliação do edifício, sendo criadas novas infra-estruturas que permitiram a criação de outras valências de apoio aos idosos, nomeadamente Centro de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário, Centro de convívio, Residências Apoiadas e, por último, um CATEI - Centro de Acolhimento Temporário de Emergência a Idosos.